quinta-feira, 13 de junho de 2013

Dicas: Como construir um manual de marca (identidade visual)






Cada marca, desde o menor site ou startup a até empresas gigantes como Nike e McDonald, precisa de um conjunto de diretrizes e regras de uso e aplicação para manter a sua identidade. Este documento, que pode variar de apenas duas páginas, a várias centenas, é o fio que une o que o público vê de uma empresa.
Imagem destaque: Jane Darwin wedding photographer por Husaclucian.com

O Manual de Identidade Visual estabelece a voz e a personalidade de uma empresa, bem como o que o público verá, e ele governa todos os aspectos da comunicação desta empresa. Este manual é a base para todas as interações em nome da empresa – comunicações, mídias sociais, publicidade e design. Embora um manual foque em muitas coisas importantes, vamos observar como isso afeta design.
O que é o Manual de Marca (ou Manual de Identidade Visual)?

É um documento que estabelece as diretrizes distintas sobre a forma como todos os aspectos da marca de uma empresa serão tratados. Deve estabelecer regras para a criação de uma presença unificada e identificável. Isso inclui tudo, desde a concepção de um logótipo e de como ele pode ser usado em papel um timbrado, por exemplo, à aparência de um website, comunicação direta, e qualquer forma de aplicação e apresentação.

O manual da marca destina-se a ajudar os empregados a utilizar adequadamente e comunicar a mensagem de uma marca. Ele descreve os objetivos da marca e da filosofia da empresa. Além disso, ele responde a algumas perguntas-chave: Qual a tipografia usada na marca? Nome correto? Que imagens são associadas com a marca e seus produtos? De que forma o logotipo da empresa pode/deve ser usado? Quais são as pessoas autorizadas a falar sobre a marca? Que táticas de marketing são preferidas ou incentivadas, versus, que táticas de marketing não devem ser usadas?

Ele também serve como um guia para os designers. Um bom manual de identidade descreve todas as ferramentas básicas do projeto que são necessárias para criar e disseminar a comunicação da empresa – a partir de fontes e estilos admissíveis, uma paleta de cores, uso de imagens, texto, tom, e a emoção retratada pela marca.

Uso do logotipo
Note na imagem a seguir as especificações para uso da marca Adobe em alinhamento considerando a base e o topo para aplicações. Veja também que é estabelecido um tamanho mínimo permitido para exibição da marca e um espaço (margem) de assinatura.



Depois de conceber o logotipo perfeito, é importante manter a integridade do mesmo em todas as plataformas possíveis. Isto inclui como o logotipo deve ser utilizado, considerando um nível de alterações aceitáveis.

Você pode observar o Manual de Diretrizes da Marca Adobe, ele faz um grande trabalho em definir exatamente como o logotipo pode ser usado, delineando colocação, tamanho e espaço em branco (margem). Lembre-se, seu logotipo é a coisa mais simples que as pessoas têm para identificar a sua marca, certifique-se de manter e delimitar uso consistente de sua imagem.

Fontes e Tipografia


Deve haver um estilo definido para cada texto usado na marca, tanto para aplicações impressas e digitais. Regras de como usar a tipografia devem ser claras e distintas, a partir de fontes que sejam aceitáveis, como cada uma é usada, e as diretrizes para o estilo adicional, tamanho e uso de cores.

Selecione algumas fontes que deverão ser utilizadas nos projetos de design que envolverem a marca. Isto pode incluir um conjunto de regras para projetos de impressão e outra para aplicações digitais. Mas certifique-se de que as fontes tem algum link em comun, por exemplo, muitos web designers preferem fontes sem serifa no texto do corpo de sites enquanto você pode preferir um estilo serifadopara materiais impressos. Encontre uma semelhança entre os dois. Considere usar uma família ou estilos tipográficos ricos, que possam ser usados em ambos os tipos de projetos de design.

A maioria das marcas usam de uma a duas fontes principais. No exemplo da imagem acima da marca da North Carolina State University usa-se a família Univers, em estilos regular e condensado. Você também pode escolher uma fonte para edições especiais ou fontes substitutas. O ideal é não incluir mais do que cinco estilos de fontes para uso com seu projeto.
Cores


A paleta de cores pode ser definida como um dos aspectos mais importantes do Manual da Marca. Considere os arcos dourados e as cores que representam o McDonalds, por exemplo. Você poderia reconhecer claramente a empresa se o “M” gigante for exibido em outra cor?

O manual deve descrever cada cor e como ela deve ser usada. Isso inclui as cores que aparecem apenas no logotipo, como nas cores que são usadas para fundos, textos e outros elementos de design. O número de cores de uma paleta deve ser mantido a um mínimo e pode incluir versões e matizes totalmente saturadas.

Além disso, o documento deve definir claramente cada cor pelo nome e valor de cor para uma variedade de projetos. Escolha as cores primárias, secundárias e suplentes para a paleta. Defina cada cor com valores para impressão (CMYK) e projetos digitais (RGB, HEX). Além disso, descreva também as cores Pantone com seus valores atribuídos.
Imagens



Definir regras para uso de imagens podem dar um pouco mais de trabalho. O Manual da Marca deve detalhar como estas imagens serão coletadas (fotografadas), editadas e usadas.

A Nike, por exemplo, baseia-se em imagens grandes e espremidas de alto contraste para sua campanha “I Love NY”. Utiliza imagens baseadas em localização, a partir de fotos que são redecorados como desenhos para captar a atenção e criar uma sensação específica.

As regras de imagem também devem definir quando e como são utilizados certos tipos de imagens. Você vai usar fotografia, ou ilustrações, ou ambos? Pode-se usar um clip art? Como as imagens serão editadas? Vão ser exibidas em preto e branco ou em cores? Todas essas perguntas devem ser respondidas em suas regras para uso de imagem.
Texto e Tom




Finalmente, você precisa ter certeza de que as coisas que você definiu iram combinar perfeitamente com a imagem da marca. Isso se aplica a tudo, desde as manchetes em um anúncio, o tom de uma nota na imprensa, à maneira como matérias são estruturadas.


Faça um esboço do tipo de linguagem que poderá ser utilizado. É um contexto carregado, condensado, ou simples e compacto? Deve tem um tom formal, ou mais coloquial e elegante? Qual o público alvo que deve ser atingido?

A Easy.com definiu sua linguagem de marca em termos simples e usou um estilo que reflete o tom das comunicações reais. Para uma marca, a simplicidade é a chave. O Skype segue uma filosofia semelhante, indo bem longe para mostrar as palavras que a empresa quer expressar.

Usar um tom consistente e distinto pode ajudar os clientes a se identificarem com a marca e cria uma associação com o que a marca representa. Ao criar regras para texto e tom de comunicação, pense sobre quais as palavras você quer que estejam conectadas – legal, confiável, elegante, bonito, eficiente e de alto nível. Utilize-as como o contorno de suas regras.
Cheklist do Manual de Marca

Aqui está uma lista de coisas que o seu manual de marca deve possuir:
Visão geral da marca, incluindo a história, a visão e personalidade.
Especificações do logotipo e exemplos de uso
Família tipográfica
Paleta de cores
Especificações de uso de imagem, incluindo estilos de fotografia
Design de cartão de visitas e timbrados (papéis, envelopes, bloquinhos, etc).
Layouts de design e grades para projetos de impressão e internet.
Regras para brochuras.
Especificações para sinalização e publicidade ao ar livre (placas, banners, outdoors, faixas).
Estilo de escrita e voz (tom de mensagem)
Diretrizes de mídia social
Exemplos visuais para apoiar cada regra (dar exemplos de uso adequado e inadequado para maior clareza).
10 manuais de marca para inspiração

Aqui você poderá ver alguns manuais de marca – algumas ainda novas, outras já bem maduras no mercado – para ajudar você a começar a construir o seu próprio manual de uso de marca. Pode ser um projeto trabalhoso e difícil, mas o resultado final realmente vale a pena.
Nike Football
I Love NY
Adobe
Skype
Easy.com
Heineken
Good Technology
University of Cambridge
Burma + Shave
Intel

Conclusão
Quando estiver desenvolvendo um manual de marca, pense em como ele será usado. Este documento é um material de referência e guia para a forma como a empresa deve ser retratada ao público.

Mantenha as regras diretas e simples, mas também pense em quão restritas elas podem ser. Regras de uso que são muito rigorosas podem limitar a criatividade e novos designs; regras que são muito liberais podem resultar em uso desarticulado ou múltiplas identidades de uma mesma marca.

Use seu manual de marca como o ponto de partida e estabeleça uma cultura em torno dele que permita espaço para designers de pensamento criativo, mantendo a cultura da marca em uma variedade de projetos. Lembre-se, o objetivo final do manual é criar uma presença distinta e unificada para a sua marca.
 Fonte: clubedodesign

Recentes Posts

recentposts

Random

randomposts